Missão Press

Princípios Gerais

MissãoPress é uma associação de inspiração cristã, cujo objetivo global é desenvolver a colaboração e o intercâmbio entre todos os órgãos de comunicação social que têm como principal objetivo promover o interesse pela Igreja missionária e pelos povos aos quais ela é enviada.

Fundada a partir de encontros periódicos e de uma prática de colaboração mútua existente, durante anos, entre as revistas e jornais missionários dos Institutos Missionários «Ad Gentes» e das Obras Missionárias Pontifícias (OMP) está aberta à participação de outros órgãos de comunicação social que prossigam os mesmo objetivos missionários e tenham o mesmo espírito de promoção da paz, da justiça, da solidariedade e do respeito pelos direitos humanos.

MissãoPress: Ao serviço da Igreja missionária

P. António Leite, SVD, no IX Congresso da AIIC, em outubro de 2014

Decorria o inverno de 1996 quando a Quebrada de Humahuaca, ao norte da Argentina, na encantadora província de San Salvador de Jujuy, testemunhava a passagem da chamada marcha da dignidade. Cerca de 350 pessoas, desde a cidade de La Quiaca, deram início àquele passo histórico na luta pelos direitos da população indígena Kolla. Ao longo de 300 quilómetros outras pessoas se juntariam, dando forma a uma multidão em marcha em direção à capital da Província para se concentrar frente à Casa de Governo. O objetivo era fazer sentir que o homem da Puna e Quebrada tem a sua dignidade e luta pelos seus direitos. Os famosos bonos (moeda provincial que circulava na altura) eram sinal de uma situação insustentável que levou os habitantes daquela região a deixarem o seu dia-a-dia e a organizarem-se na luta pelos seus direitos. No meio da multidão lá estavam também os pastores que acompanhavam as comunidades cristãs.

Neste momento já alguns de vocês estarão possivelmente a pensar que eu me tenha enganado no tema que me foi solicitado para este Congresso. Não; não me enganei. Em 1996 vivi estes acontecimentos que mencionei na própria carne. Partilhei as dores e as alegrias daquele povo; caminhei com ele enfrentando chuva, frio e outras adversidades. Recebi, tal como todos os participantes daquela marcha, alimento preparado pelas comunidades para os que passavam na luta pelos direitos de populações esquecidas. E vi padres com mais de 70 anos caminhando ao longo de dezenas de quilómetros com o seu povo naquela marcha da dignidade.

MissãoPress e sua identificação

Pois bem, integrada na Associação da Imprensa de Inspiração Cristã (AIIC), para acolher e dar voz a acontecimentos como este que acabo de narrar, nasceu a Associação de Imprensa Missionária (MissãoPress). O seu bilhete de identidade, ou cartão de cidadão – como lhe queiram chamar – aponta o dia 16 de setembro de 1996 como data de nascimento. Os seus pais chamam-se Ação Missionária, Encontro, Além-Mar, Audácia, Boa Nova, Cruzada Missionária, Contacto svd, Fátima Missionária, Missões Franciscanas, Eco das Missões, Evangelizar e Missão OMP. Os Institutos Missionários ad gentes e as Obras Missionárias Pontifícias davam forma, desta maneira, à associação que passaria a representar os interesses da imprensa missionária em Portugal. Não podemos esquecer que, dada a índole destas publicações, não encontravam real cabimento noutro tipo de associação, ficando, como tal, sem capacidade organizativa com todas as suas consequências. E o tempo haveria de revelar verdadeiramente a pertinência da MissãoPress. Naquela altura a tiragem das diversas publicações estava acima dos 250 mil exemplares.

Anos mais tarde juntaram-se ainda outras forças: A Folha dos Valentes e Igrejas Lusófonas. Têm sido anos (18 anos de vida) a procurar concretizar os objetivos que constam dos estatutos da MissãoPress.

Objetivos da MissãoPress

  1. Promover a colaboração entre os diversos órgãos de comunicação social da responsabilidade dos Institutos Missionários ad gentes, Obras Missionárias Pontifícias e outros que tenham como objetivo principal a informação sobre a Igreja missionária e os povos aos quais ela é enviada;
  2. Promover o intercâmbio a nível de experiências e de material informativo e técnico entre os referidos órgãos de comunicação social;
  3. Organizar ou apoiar ações de formação na área da comunicação social, tendo como destinatários os responsáveis e colaboradores desses mesmos órgãos;
  4. Representar os interesses da Associação junto das entidades oficiais e de outras instituições ligadas à comunicação social.

Natureza missionária da Igreja

O olhar do Concílio Vaticano II sobre a missão da Igreja incidiu sobre a sua própria natureza. É neste sentido que se expressa o Decreto sobre a atividade missionária da Igreja ao afirmar que a Igreja peregrina é, por sua natureza, missionária (Ad gentes 2). Passados 49 anos, e no seguimento da Exortação apostólica Evangelii Nuntiandi do Beato Paulo VI e da Encíclica Redemptoris Missio de São João Paulo II, o Papa chegado da Argentina dirá que eu sou uma missão nesta terra e para isso estou neste mundo (Papa Francisco, Evangelii Gaudium 273). Não se trata somente, e sobretudo de bons e elaborados programas de ação, mas aponta-se à própria natureza, a todo um estilo de vida que diga e transmita aquilo que se é.

Ao serviço da Igreja missionária

É ao serviço desta Igreja missionária que se coloca a MissãoPress. Para isso têm sido desenvolvidos muitos esforços em diversas direções: na luta pelo reconhecimento das publicações de índole missionária; na promoção e apoio a campanhas como a recolha de assinaturas pelo perdão da dívida externa aos países pobres, ou a causa do Darfur; no investimento para a formação de pessoas ligadas a estes meios de comunicação. Neste sentido viria a revelar-se fundamental uma parceria com o Centro Protocolar de Formação para Jornalistas (CENJOR), provocando resultados visíveis na qualidade das publicações e de outros meios. Esforços para concretizar o sonho missionário de chegar a todos (Papa Francisco, Evangelii Gaudium 31). Deste modo, podemos falar hoje de meios humanos e materiais ao serviço das diversas publicações para apontarmos a uma tiragem acima dos 150 mil exemplares, onde a dimensão missionária da Igreja ocupa o seu lugar, praticamente ausente nos outros meios deste nosso país.

Se é bem verdade que não se consegue chegar a todos, não é menos verdade, tal como já referido, que se foi crescendo em qualidade nestas publicações. Ao mesmo tempo investiram-se meios materiais e humanos para chegar por outros caminhos com as tecnologias deste tempo.

Acredito que o sentir missionário da Igreja em Portugal estaria bem longe de ser o mesmo sem este esforço conjunto de Institutos Missionários e outras instituições que os seus diversos meios vão amplificando.

As últimas publicações, respeitando as decisões tomadas em assembleias da MissãoPress, apresentam alguns textos mais breves sobre temas pertinentes (Desafios da Exortação apostólica Evangelii Gaudium; Missão como encontro de culturas; Missão segundo João XXIII e João Paulo II; Missão e família). Nesta mesma linha, sairá ainda este ano um outro texto sobre Igreja e mundo, 50 anos depois, tendo como pano de fundo os 50 anos de vida da Lumen Gentium.

No mês de outubro surgiu um dossiê mais extenso sobre a tarefa diária da missionação, segundo o Papa Francisco, da autoria do jornalista António Marujo.

De igual modo a MissãoPress tem estado ao serviço da formação missionária com lugar dado nas diversas publicações a eventos como a exposição missionária “Alarga o espaço da tua tenda”, o Curso de Missiologia, as Jornadas Missionárias Nacionais e a divulgação do Outubro Missionário.

Nota final

Como nota final permitam-me que lhes fale de um sentimento que me habita. É com alegria que vejo publicações missionárias com boa apresentação e bom conteúdo que indica claramente a dimensão missionária da Igreja, com acento na opção pelos mais pobres. E lembrar que podemos chegar bem longe caminhando sozinhos, mas que não tem o mesmo alcance e sabor quando nos encontramos e percorremos o caminho em conjunto. Saindo de nós mesmos, encontramo-nos, damos valor ao outro e podemos ajudar a que outros se encontrem. A MissãoPress procura percorrer tais caminhos.

Obrigado a todos aqueles e aquelas que ao longo destes 18 anos têm encontrado tempo e energias para levar por bom caminho esta jovem com 18 anos de vida, a MissãoPress, ao serviço da Igreja missionária em Portugal.

A MissãoPress continuará a partilhar a alegria do anúncio do Evangelho, procurando que os pobres e os sobrantes desta sociedade ocupem o lugar de preferidos na sua maneira de estar.

António Augusto L. Leite
MissãoPress
S. Bento da Porta Aberta, 24 de outubro de 2014